c

No Jardim de Infância, as manhãs iniciam sempre com o Conselho de Grupo, em que todos têm oportunidade de intervir e comunicar, criando uma dinâmica de organização cooperada do trabalho, onde cada criança participa com tempo, espaços e instrumentos próprios, tais como planos do dia, diário de grupo, mapa de atividades, mapa de projetos, entre tantos outros.

 

Este modelo pedagógico (MEM) assenta numa prática democrática da gestão das atividades e de todo o ambiente educativo. Neste sentido, as crianças são protagonistas no seu próprio saber. Escolhem e decidem o que vão fazer ou descobrir, como e quando, contando sempre com o apoio dos educadores, que têm o papel de incentivar, estimular, orientar e fazê-los chegar sempre mais além.

Exemplo desta prática foi um grupo de crianças da Sala Branca, que na Área da Expressão Plástica decidiu fazer construções utilizando materiais recicláveis (embalagens vazias, rolos de cartão de papel de cozinha e do papel higiénico, tampas, cápsulas do café, etc.) assim como outros resíduos (lãs, botões, restos de tecidos, restos de cartolina, etc). As crianças começaram por fazer o projeto do que queriam construir, escolheram os materiais e meteram mãos à obra, dando largas à sua imaginação, criatividade.

Num outro espaço, duas crianças deram inicio a um projeto de investigação cientifica sobre as cobras, que nasceu no tempo “Quero contar, mostrar ou escrever” (momento em que as crianças se inscrevem para fazer comunicações). Pesquisaram em livros, na internet e fizeram perguntas a outros amigos que já sabiam algumas coisas. Decidiram construir um livro, registando todas as aprendizagens realizadas.

No final, os trabalhos e as descobertas são apresentados ao restante grupo, realizando a difusão dos saberes. Este é um momento privilegiado para o desenvolvimento da comunicação e da autoestima de quem apresenta.

Área Reservada