Subscreva a Newsletter

Email address:

First Name:

Last Name:


A expressão musical na Creche do Colégio do Vale insere-se no âmbito da "música para bebés", tão divulgada nos tempos que correm, face aos benefícios que promove. As sessões quinzenais entram na rotina dos bebés através de sons e movimentos, proporcionando ocasiões de descoberta lúdica. Momentos destes são de grande importância, pois que a música representa desenvolvimento intelectual, auditivo, sensorial, da linguagem e motor das crianças.

Sendo uma atividade coletiva, promove também o desenvolvimento da socialização e partilha, construindo assim a noção de grupo. Enquanto algumas crianças apenas baloiçam o corpo outras já desenvolvem movimentos associados ao ritmo, como bater as palmas, bater os pés, …, juntando assim o sentido rítmico à coordenação motora.

A relação entre o Homem e a música é em tudo semelhante à relação da galinha com o ovo. Desde que há memória que a música acompanha o Homem, da era primitiva até aos nossos dias, este é tido como um ser musical e a música é sua propriedade exclusiva, é algo que se desenvolveu com o ser humano, é-lhe indissociável e faz parte do processo de humanização, ou seja, o Homem desenvolve e a música desenvolve-se com ele.

Janeiro é o primeiro mês de um novo ano. Altura de saldos e de balanços e também de trocar algumas prendas.

Voltamos a encher as lojas e os centros comerciais e por todo o lado se ouve alguém dizer que tem de ir "destrocar" não sei o quê, não sei onde... Também nos nossos locais de trabalho acabamos por pedir para "destrocar" uma nota por algumas moedas, para podermos ir à máquina do café.

Evitar açúcares é uma das tarefas mais difíceis para quem se preocupa em ter uma alimentação saudável, ainda mais numa época como esta, que é o Natal, quando temos sempre uma mesa de doces tradicionais.

Por açúcar referimo-nos a todas as palavras terminadas em “ose” e “itol” que constam nos rótulos das embalagens, como por exemplo: glucose, sacarose, frutose, dextrose, sorbitol, poliglicitol, galactose. O açúcar fornece apenas calorias vazias para o organismo porque não tem qualquer valor nutricional, devendo por isso ser evitado.

Os tapetes sensoriais são um recurso pedagógico muito utilizado nas salas de Creche que contempla muitos dos objetivos definidos para as crianças desta faixa etária. Podem ser utilizados de diversas formas, dependendo da criatividade e das necessidades e interesses de cada grupo (deitados, sentados, descalços,...).

Nestas idades o contacto com texturas, cores, formas e materiais diversos, desenvolve a perceção das crianças acerca das suas capacidades sensoriais (tátil, visual e auditiva) e a sua relação com o mundo, promovendo ainda o desenvolvimento do vocabulário.

INCENTIVE OS SEUS FILHOS A PRATICAREM DESPORTO

Sabe que a prática do desporto desenvolve o espírito de equipa e a aquisição de competência morais?

O Desporto Escolar permite às crianças e aos jovens desenvolverem uma série de atributos e qualidades que auxiliarão na formação do seu carácter e que os levarão à aquisição de competências morais. No entanto, este carácter educativo do desporto não se manifesta simplesmente pela prática do mesmo; é necessário que esta seja devidamente orientada por profissionais que lhes proporcionem um ambiente de treino e competição, que dê valor ao respeito, ao espírito de sacrifício, à disciplina e ao empenho.

Desta vez, a minha intervenção diz respeito a um verbo que é muito maltratado por todos nós ou, pelo menos, por grande parte de nós!

Frequentemente ouvimos amigos e colegas dizer: “Ele interviu bem.”, “Nós intervimos na situação”, “Eu intervi assim que soube do caso” e não menos frequente vemos alguém engasgar-se quando tenta dizer: “Eu tenho intervido muito na resolução deste problema”. Na verdade, o que devíamos ouvir era: “Ele interveio bem”, “Nós interviemos na situação”, “Eu intervim assim que soube do caso” e “Eu tenho intervindo muito na resolução deste problema”. Parece estranho, mas isso é apenas porque as formas corretas se tornaram pouco frequentes entre os falantes...

Chants and songs have long been recognised as fun and child-friendly tools in both First and Second Language Acquisition (Elizabeth Forester, 2006). As we know, children who are attending primary are the perfect candidates to acquire a foreign language. And our students are no exception! It’s our belief that songs are one of the greatest ways to get through to them, since they can appeal to all types of leaners: visual, auditory and kinaesthetic.

There are many advantages in using songs and chants in class, for example, given their repetitive nature, they allow learners to broaden they vocabulary bank and learn new chunks of language that will help them to communicate in simple daily routines. Furthermore, they help children to memorise new vocabulary (rote learning) and also, help them to improve their sense of rhythm, stress and pronunciation.

In an increasingly globalized and multicultural world, our children need to acquire the necessary skills to adapt, get involved in and eventually conquer this world.

Learning English from an early age becomes then awfully important, especially since it has become, over the last decades, the lingua franca in every relevant sector, from science to business and economy, from tourism to entertainment, etc.

Giving our children the opportunity of learning English from an early age (from 3 up in our school) is then one of our primary goals, so that they can grow up to be responsible, tolerant adults with a positive input to give to our society.

Vivenciar o Halloween, apesar de não ser uma tradição do nosso país, é uma fonte de aprendizagem e conhecimento muito rica para todas as crianças, pois promove o desenvolvimento de todas as áreas de conteúdo previstas para a Educação de Infância.

No que diz respeito à área de Expressão e Comunicação esta é desenvolvida através de atividades como histórias, teatro, comunicação das descobertas, pinturas, desenho, escrita (descoberta da palavra aranha;…), consciência fonológica e matemática (conjuntos; quantidades;…)

Ao nível do Conhecimento do Mundo é possível descobrir: teias de aranha no exterior ou como nascem as abóboras e como são por dentro; germinar e semear sementes de abóbora promovem experiências e enriquecem as aprendizagens.

Sendo a Área de Formação Pessoal e Social transversal a todas as outras Áreas de Conteúdo, esta está presente em todo o trabalho educativo.

No Colégio do Vale todo o trabalho planeado pelas equipas tem sempre em conta os objetivos previstos no nosso Projeto Educativo que contempla as grandes linhas das Orientações Curriculares para o Pré-Escolar (OCEPE), nunca esquecendo a componente lúdica, tão importante na vida das nossas crianças.

Anabela Norte e  Andreia Jardim

Coordenação Pedagógica da Creche e Jardim de Infância

Seriamente falando há modas que me tiram completamente do sério... Alguém decide utilizar uma expressão “alternativa”, com uma pose cheia de seriedade e sapiência e logo surgem os seus acérrimos seguidores, que usam e abusam da originalidade criativa, sem sequer se questionar a origem.

E é assim que surge a expressão “à séria”. Tão cheia de sentido como o interior de um ovo da Páscoa, pois, na verdade, “à séria” não significa especificamente nada, simplesmente porque não existe na língua portuguesa.

Não se trabalha “à séria”, quando trabalhamos com empenho e dedicação; não temos amigos “à séria” quando eles são verdadeiros e não falham; não arranjamos um trabalho “à séria” quando efetivamente conseguimos um grande cargo.

Quem ri “à séria” não ri melhor do que aquele que ri com toda a correção linguística e ri “a sério”, “de verdade”. Efetivamente a expressão “a sério” não tem feminino...

Desafio 2: chutar a expressão à séria do nosso vocabulário.

Esta imagem está em http://nutrimento.pt/podcast/a-importancia-do-pequeno-almoco-2/

O pequeno-almoço é a refeição mais importante do dia, pois quebra o jejum da noite que é o maior período de descanso do nosso organismo. Ao pequeno-almoço devem estar presentes os nutrientes necessários para iniciar a atividade diária; deve ser uma refeição equilibrada, saudável e tem de fornecer nutrientes em quantidades adequadas, de modo a oferecer à criança a energia necessária para o desempenho das suas funções.

Este deverá corresponder a cerca de 20-25% da energia total do nosso dia e ser rico em hidratos de carbono complexos, rico em proteínas e com baixo teor de gorduras. Esta refeição deve obrigatoriamente incluir 1 cereal, 1 lacticínio e 1 fruta, como por exemplo uma fruta fresca da época, o pão escuro ou flocos de cereais pouco açucarados, o leite ou iogurte, sem esquecer a imprescindível água, ao iniciar o dia.

Não tomar o pequeno-almoço é, no fundo, prolongar o período de jejum e de recurso corporal às reservas energéticas, sendo esse processo menos eficiente do que a obtenção da energia a partir dos alimentos. Isso provoca uma maior sensação de sonolência e fadiga e a um menor desempenho cognitivo e físico, principalmente no período da manhã. É por isso imprescindível tomar o pequeno-almoço promovendo a saúde e bem-estar!

Mária Benedito

Nutricionista C.V.

Cédula Profissional 2845N

A expressão “hábitos de leitura” deixa bem claro que ler não requer nenhum talento ou aptidão natural. É preciso, sim, criar hábitos de leitura! Mas como?

Primeiro de tudo é importante despertar a curiosidade e a paixão pelo conhecimento, depois ser disciplinado e organizado e, por último, criar o espaço de leitura propício, encontrando o tempo certo para ler!

Por isso, é que nós, aqui, no Colégio do Vale somos promotores da LEITURA. Fomos pioneiros em criar o projeto “Toca a Ler!” nas aulas de português de 2º e 3ºciclos! É neste espaço que a leitura é senhora e rainha! Oferecemos ao aluno 10 minutos de possibilidades para se inspirar e ganhar gosto pelo livro e pela leitura! É neste espaço que o aluno aproveita a leitura nas suas mais variadíssimas formas: a desfrutar, a enriquecer a sua língua, a sua cultura literária e a desenvolver o seu imaginário, a sua fantasia! É também aqui que partilhamos as leituras, uns dos outros, e sonhamos juntos com as histórias que emocionam cada um! Sabemos que a leitura quando descoberta, ela torna-se na companhia perfeita!

Para nós, este é o caminho certo que queremos continuar a seguir para formar novos e verdadeiros leitores, criando “hábitos de leitura” saudáveis e aprazíveis!

Nós… lemos!

Ana Isabel Coelho

Ana Paula Trigueiro

Rosália Gonçalves

(Professoras de Português do C.V.)

Área Reservada