Numa tarde bem agradável de primavera, mas com temperaturas de verão, a convidar a uma aula ao ar livre, os alunos do 2º ano organizaram um “salão de chá”.

À descoberta de vários tipos de chás, quentes e frios, em que a diversidade de sabores e aromas não faltou. Chás de frutos e de ervas, foram muito apreciados, mas acima de tudo, ficaram a conhecer os benefícios de algumas plantas para fins medicinais.

Um brinde saudável à boa disposição e a mais momentos como este!

No âmbito da semana das aulas ao ar livre, foi lançado o desafio de aprender no recreio do Colégio. Deste modo os alunos do 4º ano foram para o exterior e levaram a matemática “no bolso”. Fita métrica, metro, fio, tesoura, papel e… 33 meninos. A missão era de calcular a área livre do recreio, o que pode parecer fácil, mas tem os seus contratempos.

Os alunos calcularam a área dos espaços cobertos existentes no recreio e a área total para conseguir chegar à área que têm livre para brincar.

Dividiram-se as tarefas e fizeram-se grupos de trabalho, mas a atividade terminou com um só grupo a trabalhar para um mesmo objetivo e este trabalho de equipa levou-os a uma missão bem-sucedida. Aqui ficam os resultados.

A história fala sobre os afectos entre diversos animais e, após alguma conversa, as crianças  descobriram que os animais gostam de brincar com o que a natureza lhes oferece. O grupo foi convidado a apanhar paus, pedras, folhas e, com estes elementos, a construir um quadro, através de colagens e pintura. Arregaçaram as mangas e construíram um bonito painel, que ficou lindíssimo na parede do corredor em frente à sala.

Os meninos da Sala Amarela quiseram ampliar a bonita área das ciências e a sementeira do recreio,  colocando novas plantações:

Primeiro, analisaram, em grande grupo, o que tinham e o que haviam plantado previamente nos vasos da solarenga janela e fizeram um breve inventário; depois, decidiram que podiam requisitar às suas famílias alguma ajuda e também registaram o que queriam ter na janela e na horta.

Depois de  pedirem aos pais, esperaram e… colocaram as mãos na terra! Receberam, com muito entusiasmo, sementes de flores, uma planta coleu (que muda de cor com a quantidade de luz solar), pés de tomateiros, rebentos de hortelã, uma planta trepadeira nascida de uma batata-doce, os caroços de melancia, pêssego, maçã, pés de salsa, e… umas deliciosas nêsperas e cerejas que, depois de se deliciarem ao almoço, guardaram com cuidado os seus caroços, para plantar também.

Agora… esperam pelos rebentos das plantinhas, semeadas com muito carinho.

O Núcleo de Teatro do Colégio do Vale do 2º e 3º Ciclos participa anualmente no Festival Interescolas de Almada, apresentando o projeto que desenvolveu durante o ano letivo.

Este ano não foi exceção e, no passado dia 21 de maio, familiares e amigos encheram a sala do Cineteatro da Academia Almadense, para juntos assistirem à peça "No prédio do senhor Zé".

O evento teve lotação esgotada e a sala encheu-se de muitas emoções e gargalhadas.

Foram, sem dúvida, momentos inesquecíveis e até contámos com a presença do Presidente da Câmara de Almada, Dr. Joaquim Estevão Miguel Judas.

Os nossos alunos tiveram uma excelente prestação e estão verdadeiramente de parabéns!

Na semana de "Aulas Ao Ar Livre", a estagiária Joana Ferro propôs que os meninos da Sala Rosa pintassem com raminhos de arbustos, numa folha bem grande, no parque exterior.

O registo permite observar o interesse, a descoberta e a exploração desta atividade. Obrigada Joana, os meninos gostaram mesmo! Temos de repetir.

 Como verdadeiros exploradores, as crianças da Sala Amarela partiram à descoberta de texturas. Com uma folha branca e lápis de cera coloridos decalcaram os vários materiais que mais os intrigavam; Procuraram por todo o espaço exterior e conseguiram “captar” as mais variadas texturas, como os rugosos troncos das árvores, o lisinho escorrega, as curiosas nervuras das folhas caídas, as paredes com “piquinhos”….

 As folhas, antes brancas, ficaram recheadas de texturas coloridas.  As crianças não quiseram parar… Quiseram fazer mais e mais e, principalmente, gostaram muito de cooperar em pequenos grupos de amigos, onde puderam partilhar, no momento, as descobertas que quase pareciam magia e ajudar os amigos que precisavam (a segurar nas folhas, colocar bem o lápis, trocar de cor, preencher bem o papel…)

Para os mais pequeninos e  para os bebés que não andam é fundamental ter um "meio de transporte" que os ajude a saírem em segurança, permitindo visitarem e passearem em locais fora do Colégio.

Assim, os nossos mais pequeninos foram à Loja das Plantas e puderam ver plantas, flores, árvores e até brincar nos tapetes de relva. O grupo de bebés, dos quais alguns ainda não andam sozinhos, foram acompanhados por vários adultos. Só com o auxilio do carro e do comboio é possível sair e passear assim, em segurança e com qualidade.

No recreio as crianças da Sala Amarela escutaram e dramatizaram a divertida história de entreajuda, sobre as atribulações de um simpático casal de velhinhos e os seus animais da quinta, na tentativa de colherem uma Giiiiigante colheita! Exploraram também vários conceitos matemáticos associados à “quantidade”, ao “número”, à “ordem”, ao “tamanho”… Foi muito divertido e posteriormente reproduziram a história em criativos desenhos, com todos  os animais e o Nabo Gigante.

Na semana de Atividades ao Ar Livre vivenciada entre os dias 15 e 19 de maio, os meninos da Sala Verde, foram até ao exterior “À Descoberta das Figuras Geométricas”.

 A partir de um poema  exploraram as 4 figuras geométricas básicas: o quadrado, o rectângulo, o triângulo e o círculo.

 Em grande grupo as crianças identificaram algumas características como:

“-O triângulo tem 3 bicos”

“- O quadrado tem 4 lados iguais”

“- O circulo é redondo como a lua”

“O rectângulo tem 2 partes iguais pequenas e mais 2 partes iguais grandes”.

De seguida foram à procura dos blocos lógicos escondidos no recreio e partilharam entre todos os que tinham encontrado e descobrindo que, apesar de serem figuras geométricas, tinham cores, tamanhos e espessuras diferentes.

As crianças da Sala Amarela escolheram o recreio para representarem no papel, com tintas coloridas, as brincadeiras que mais gostam de fazer ao “ar livre”. As partilhas foram imensas: Passear com os pais e irmãos, brincar na praia, no campo ou na fresquinha água da piscina… hum que bom! Assim, decidiram construir um álbum para a biblioteca de sala para consultarem sempre que quiserem.

Quando não se pode  fazer exploração direta da Natureza, vai a Natureza às Salas. Foi o que aconteceu:  Vários elementos (areia, água, pétalas de flores, troncos, folhas secas...) organizados em caixas, constituíram um percurso sensorial que foi explorado e vivenciado pelos bebés das Salas Berçário e Rosa. Experiência a repetir...

A decorrer no Colégio do Vale, ação de formação, promovida por Centro de Formação da APEI. A primeira turma já concluiu e a segunda turma vai iniciar. Obrigada Ana Mourato.

"Nesta ação acolhe-se o desenvolvimento da infância, com todas as suas problemáticas e conquistas, reflexões e reestruturações. A ponte é feita com livros mediadores através dos quais se exploram dinâmicas e formas de acompanhar estas etapas da vida. Falaremos de livros ninho, livros docemente em aberto e livros que nos deixam em queda livre."